Aromaterapia, um tratamento alternativo

Sergio Schargel

Plantas medicinais podem prevenir e auxiliar no combate a doenças como depressão, ansiedade e dores físicas, de acordo com a Aromaterapia, ciência que estuda os benefícios de tratamentos com aromas para a saúde. Estudos provaram que os óleos essenciais obtidos destas plantas podem ser eficazes na prevenção de doenças físicas e psíquicas.

De acordo com a psicóloga Maria Cristina Magalhães, especialista em Aromaterapia e Auriculoterapia, “o grande diferencial dos óleos essenciais é que, além da diversidade de tratamentos, eles são naturais e nem um pouco agressivos ao ser humano”. Existe uma diversidade enorme de aromas, já que a flora no mundo é imensa, o que permite trabalhar não só a parte clínica como também a parte emocional.

O tratamento é bem abrangente e pode ser recomendado para diferentes pessoas de todas as idades. Em idosos, por exemplo, pode ser eficaz para auxiliar no tratamento do Alzheimer, enquanto em crianças pode ser ideal para controlar o humor. Existem, porém, algumas ressalvas: grávidas, por exemplo, não podem usar determinados óleos, pois podem influenciar nas contrações.

Diversas são as formas de aplicação da terapia, como revela Maria Cristina: “existem ao menos sete formas de se utilizar os óleos essenciais: massagem, inalação (eficaz para efeitos psicológicos), uso tópico (para tratar queimaduras ou picadas de insetos, por exemplo), compressas (ideal para dores musculares), aromatizadores ou vaporização”.

Mas a grande contribuição da Aromaterapia é a melhora na qualidade de vida. Ela pode ser uma grande aliada para combater problemas psíquicos como depressão, ansiedade e até insônia. O óleo de lavanda, por exemplo, além de tratar queimaduras, também é relaxante e ajuda no sono. Entretanto, é importante ressaltar que ela é uma terapia complementar e alguns casos precisam dos tratamentos médicos convencionais, por isso, procure sempre orientação especializada antes de decidir qual método utilizará.

Publicado em Sem categoria